facebook pixel

Legionella

O que é a Legionella?

É uma bactéria do género Legionella, capaz de causar uma pneumonia conhecida como Doença dos Legionários.

Estas bactérias existem em ecossistemas naturais de água doce e quente. Encontram-se frequentemente em nichos ecológicos criados pelo homem: redes de água predial, equipamento de climatização (sistemas de ar condicionado), instalações termais, fontes e outras capazes de formar aerossóis (crescem e multiplicam-se a uma temperatura óptima entre os 35˚C e 45˚C).

Germano de Sousa Legionella

Imagem Wikipédia

Como ocorre a sua transmissão e infecção?

Não existe transmissão pessoa a pessoa, nem pela ingestão de água contaminada.

A infecção ocorre por inalação (via respiratória) de aerossóis contaminados pela bactéria, através dos chuveiros domésticos, torres de arrefecimento, sistemas de climatização, instalações termais, saunas e jacuzzis.

A inalação de gotículas contaminadas pode chegar aos pulmões dando início à infecção. A ocorrência de infecção depende de vários factores: concentração e virulência da estirpe e factores de risco do hospedeiro.

Quais são os sintomas e as doenças causadas por esta bactéria?

Estas infecções podem cursar sem sintomas ou com sintomas.

Os sintomas são inespecíficos: astenia, náuseas, tosse, dificuldade respiratória, febre alta, dores musculares e dores de cabeça.

No caso da forma menos severa – Febre de Pontiac – Os doentes não têm pneumonia e os sintomas podem durar 2 a 5 dias.

No caso da forma mais grave – Doença dos Legionários – os doentes têm pneumonia e os sintomas duram 2 a 14 dias.

Quais são os grupos de risco?

Quando infectados por Legionella, os grupos mais predispostos à infecção grave, são:

  • Pessoas com mais de 50 anos;
  • Fumadores regulares;
  • Pessoas com doenças pulmonares crónicas (DPCO e enfisema);
  • Doentes com sistema imune debilitado por doença oncológica, renal ou diabetes;
  • Doentes que tomam medicação para suprimir (enfraquecer) sistema imunitário (transplantados, quimioterapia).

E nas crianças?

A Legionella não é um microrganismo proeminente, nas crianças com pneumonia.

Os casos de infecção por Legionella nas crianças são muito raros.

Existe alguma vacina?

Não existe nenhuma vacina para prevenir a doença.

A prevenção com antibióticos também não é eficaz.

Como é feito o diagnóstico da Doença dos Legionários?

A maioria das pessoas com doença dos Legionários apresenta uma pneumonia grave (infecção dos pulmões) sendo que a Legionella cresce e multiplica-se nos pulmões. A pneumonia é confirmada por exames radiológicos/imagiológicos (radiografia aos pulmões), pelo exame objectivo ao doente e por exames laboratoriais.

Podem ser realizados vários exames laboratoriais para detectar a Legionella.

O exame laboratorial mais comum e mais usado é a detecção de constituintes da bactéria numa amostra de urina (antigenúria) através de anticorpos específicos. É um teste de execução rápida, bastante sensível e específico.

Um teste de urina positivo para a Legionella, num doente com pneumonia, confirma o diagnóstico de Doença dos Legionários.

Outros testes mais demorados e que não são utilizados por rotina, também confirmam a Doença dos Legionários:

  • O crescimento da bactéria Legionella, em exames culturais adequados, a partir de amostras respiratórias (expectoração e outros)
  • A presença de níveis crescentes de anticorpos em amostra de sangue colhidas logo após os sintomas e durante a recuperação (duas amostras com um intervalo de 10 dias).

Existe tratamento?

Sim, o tratamento é feito com antibióticos.

A análise que posso fazer é:

A análise Pesq. do Antig. da L. Pneumophila.
Consulte a análise no Manual de Colheitas.

Onde fazer a Análise?

Procurar um Posto de Colheita para fazer a análise: Postos de Colheita

Surto de Legionella

O que é um surto?

É um termo epidemiológico para designar um número de casos de infecção acima do normal em doenças infecto-contagiosas ou de saúde pública.

O surto ocorre em locais circunscritos (instituições, escolas, domicílios, cozinhas colectivas, edifícios, bairros ou comunidades) associado à hipótese de que tiveram, um factor comum entre eles:

  • A mesma fonte de infecção ou contaminação;
  • O mesmo factor de risco;
  • O mesmo quadro clinico;
  • Ocorrência em simultâneo.

Devo estar preocupado com este surto?

O surto está relacionado com três freguesias no sul do Concelho de Vila Franca de Xira: Vialonga, Forte da Casa e Povoa de Santa Iria.

Se reside ou esteve na área delineada e apresenta os sintomas descritos deverá entrar em contacto com o seu médico assistente ou contactar a Linha de Saúde 808 24 24 24 disponibilizada para o efeito.

Que medidas preventivas devo tomar?

A Direcção Geral de saúde aconselha, nas zonas afectadas, que se tomem medidas preventivas: preferir banhos de imersão a banhos de chuveiro, evitar o uso de água quente e a grande pressão.

Como medida de prevenção as cabeça do duche devem ser desinfectadas por imersão em solução de água com lixívia, durante 30 minutos, uma vez por semana.

Nos termoacumuladores a água deve estar regulada para 75ºC.

Evitar também saunas, hidromassagens e jacuzzis.

A água da torneira pode ser bebida e utilizada para cozinhar.

Se tiver alguma questão adicional: